sexta-feira, 14 de julho de 2017

A experiência mais surpreendente que tive esse ano





Ontem não tinha nada para fazer depois do serviço (como sempre está acontecendo) e sabendo dessa situação a namorada me chamou para irmos a uma padaria próximo a empresa dela. 


De início fiquei meio surpreso pelo convite, pois já era noite, acredito que 19h e quem convida alguém para ir à noite em uma padaria. De qualquer forma aceitei o convite já que sabia que iria para casa dela e dormiríamos juntos.


Deixei a motoca lá e seguimos em seu carro. Fomos em direção a um bairro tradicional e nobre, desses em que todos os acostumados com arquitetura de periferia ficam boquiabertos ao passar em frente a residências cuja ornamentação do muro dá para comprar uma pequena kitnet.


No caminho ela me contou que gosta muito de ir nessa padaria e logo eu a indaguei o que teria de interessante, pois até o presente momento a imagem que tinha em mente de padaria era algo sem muito glamour.


Ao pararmos em frente a onipotente construção de dois andares com jardins de inverno ao redor circulado por um parapeito de inox preenchido pelo mais belo e puro vidro temperado, que eu compreendi o motivo da minha donzela querer frequentar aquele ambiente.


Antes de entrar eu imaginei que era um restaurante daqueles que se vê nos filmes, muitas vezes avaliados por críticos gastronômicos  que após se deliciarem da receita secreta dos chefes que fizeram cursos na França o agraciam com algumas estrelas do guia “Michelin”:


“É o guia de referência de hotéis e restaurantes. Impresso com o máximo sigilo e com tiragem desconhecida, este guia é o mais respeitado do mundo[4] e premia os melhores restaurantes, classificando-os com estrelas (de 1 a 3) e que representam o sonho ou o pesadelo de qualquer chef. Ganhar uma estrela do guia significa a ascensão do restaurante e dos seus chefs ao passo que perder uma delas pode levar até a uma tragédia como a do chef Bernard Loiseau que se suicidou[5] em Fevereiro de 2003, com um tiro na cabeça aos 52 anos, desesperado com o rumor de que o seu estabelecimento perderia a classificação de "três estrelas" no Guia Michelin.”



Adentrei ao local e agradeci por andar bem visto a maior parte do tempo, pois se fosse ao contrário estaria totalmente incomodado. No primeiro andar havia todas as comidas que uma padaria pode conter. Era de dar inveja a muito Resorts. A parte de pães, bolos, biscoitos, não consigo descrever a quantidades de opções que havia naquele local.


No segundo andar escutei uma música ambiente que vinha por todos os lados em um lindo e bem decorado salão com cadeiras estofadas. De um lado havia ilhas com vários tipos de comidas, como japoneza, caldos, e outros que não me arrisco dizer de qual parte do globo foram criadas.


Mais ou menos isso



Havia também no dia um rodízio de pizzas e massas. Sem contar a mesa de café colonial que ainda estava posta em decorrência do horário que acabara de anoitecer.


Sentamos e fique receoso com os valores praticados, já que na entrada você recebe uma comanda em que os preços não são especificados, porém fiquei tranquilo já que com essa mulher ao meu lado tudo é pago separadamente ou na pior das situações divididos de forma equânime.  


Pedi uma cerveja e ela um refri. Pedimos apenas uma fatia de pizza cada um, já que não queríamos participar do rodízio. Comemos e estava deliciosas. Logo após como estava frio a namorada foi pegar duas tigelas de caldo de feijão que estavam ótimas também.


Como ainda estava bebendo cerveja após o caldo peguei alguns frios no “Buffet” e a namorada sobremesa. 


Fiquei observando o público que entrava e percebi que realmente são pessoas que possuem boa capacidade financeira. No estacionamento não havia muitos carros de luxo, contudo, todos que desciam do carro tinham a cara da nobreza. Ora pelas vestes, outrora pelo modo de portar e conversar, o tratamento, ou seja, pessoas bem educadas.


Pensei naquele momento que aquele ambiente é o que tenho que freqüentar para poder ter mais sucesso, o ambiente que estimula você a crescer e tem contato com pessoas melhores. Ali você pode conseguir contatos futuros para alguma situação, ou vislumbrar nichos de mercado para poder atuar e atender um público especifico. 


Agora na padaria da favela isso não irá acontecer e o máximo de sentimento em que você irá adquirir é o de negatividade, pois a grande maioria de pessoas da classe baixa só sabem ficar reclamando e lamentando na hora que encontram algum conhecido.


Ao final da agradável estada, após algo em torno de 1h40min fomos embora e aproveitamos para comprar um bolo e uns biscoitos. Visualizei o caixa e estufei o peito ao entrar na fila, kkkk.


Passamos a comanda e no final paguei exatos R$28,00 e a namorada R$30,00. É isso mesmo pessoal, bebi, comi, aproveitei o ambiente levei comida pra casa e não deixei nem R$30,00, foi incrível.


Voltarei mais vezes lá para saborear esse momento, principalmente nos dias em que estiver para baixo, pois rapidamente a autoestima é elevada nessa situação (pelo menos para mim).





28 comentários:

  1. Cacetee que legal Lawyer...

    Chegando em casa a calcinha já estava na canela, porq se vc ficou desse jeito imagina a patroa kkk

    Abraço amigo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A patroa já frequenta lá há anos parceiro. Eu que sou o bobo na história kkkkk.

      Estou querendo levar minha coroa lá, ela vai chorar de emoção velho.

      Excluir
  2. Esse seu post é bem interessante por alguns aspectos.

    1) Devemos nos permitir alguns luxos de vez em quando, como comer em bons restaurantes, e ao fazê-lo não ficar com mesquinharia. Claro que não é todo dia, nem todo fds, nem também é pra pedir caviar sem olhar o preço no cardápio, mas é simplesmente curtir o ambiente e relaxar, sentindo que você faz parte dele e não sendo um mero intruso.

    2) Há por ai estabelecimentos com ótimo ambiente e preço razoável, mas muitos tem medo até de entrar por conta da imponência do ambiente ("tem cara de caro"). É fato que muitos deles depois que começam a bombar "crescem os olhos" no preço, mas tem que aproveitar enquanto dá!

    3) Não gosto de generalizações, mas periferia é uma merda. Gente pobre de dinheiro e espírito. Não que sejam pessoas sem caráter, mas, em geral, são pessoas sem ambição, ignorantes, reclamonas, etc.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O melhor ministro é que qualquer cafezinho por ai com pão de são com mortadela você deixa quase R$10,00 em um uma padaria chechelenta.
      Lá eu achei os preços super justos.

      Para se ter uma ideia:

      Cerveja: 8,00
      Refri: 4,50
      Fatia de Pizza: 5,00
      Caldo: 5,00
      Biscoito que levei pct: 4,00

      Excluir
  3. Não sei se você pode responder, mas isso é em São Paulo? Cidades pequenas geralmente não tem estabelecimentos desse nível.
    Legal que os valores cobrados não foram caros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é em Sampa. Mas é no sudeste do país e capital.

      Excluir
    2. HAHAHA

      Claramente agora você mostrou que não é de São Paulo, pois ninguém que mora em São paulo que eu saiba fala sampa.

      Excluir
    3. As vezes sou da divisa, do interior, litoral, ou não. Quem saberá?
      Kkkk
      Vlw.

      Excluir
    4. Lawyer é de beozonti. Capital com preço de interior.

      Excluir
  4. Rapaz. Fiquei ate curioso pra saber onde é isso. Tá fazendo propaganda por post agora?? Hahahh
    Mas enfim....
    É bom frequentar um lugar onde as pessoas falam em tom baixo, o clima n é pesado e estressante.
    Abraco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala compadre estou igual os críticos gastronômicos ne velho.


      Vlw.

      Excluir
  5. Grande Lawyer!!! Seu texto me fez lembrar de uma situação bem engraçada.
    Algumas vezes, costumo chamar uns amigos para comer no Coco Bambu(depois entra no site dos caras). Lá tem um prato tradicional, camarão internacional, que serve bem 4 pessoas.
    Pois bem, quando eu faço o convite, alguns torcem o nariz, pq é caro, é coisa pra rico etc. Mas a minha justificativa é muito simples. Faço uma comparação da qualidade da comida, do local e atendimento com uma promoção do McDonalds para cada um. Pronto. Fim de papo. Essa ficha caiu quando estava comprando um gorduroso(morte lenta), e na minha frente, estava uma tradicional família brasileira. Marido, esposa e duas crianças(entre 8 e 5 anos). Todos fizeram seus pedidos e combos. Resultado: R$ 95,00 por um lixo de comida. É de cair o queixo.

    E pode parecer estranho, mas andando por ai, você consegue coisas com excelente qualidade por um preço não tão estratosférico. E mesmo assim, sabemos que não iremos tomar café todos os dias nesses locais. É mais para se sentir bem mesmo. Afinal de contas, economizamos para também aproveitar momentos e locais como esse. Grande abraço!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Goku e o melhor de tudo é que o custo benefício é muito justo e qualquer um pode ter acesso, mas como você disse tem pessoas que tem receio de entrar nesses locais.

      Excluir
    2. Aqui na minha cidade tem um restaurante que serve de tudo e fica até de madrugada aberto, e a comida é estilo caseira, muito saborosa, e o preço apenas R$ 29,00 livre, outro dia eu estava em uma mesa que fica na sacada e parou um ferrari do outro lado da rua, o cara da ferrari veio jantar e sentou em uma mesa em frente a minha, até o dono do restaurante ficou de cara.

      Excluir
  6. Gostei da sua comparação. Além disso, só o preço não importa pois mesmo que os locais imundos fossem baratos (não são) depois de um pouco de maturidade intelectual se tornam inabitáveis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ficar 10 minutos ao lado de lamentadores e reclamoes da vida pela manhã acaba com o dia de qualquer pessoa.

      Excluir
  7. Olá Lawyer!

    Onde moro tem uma padaria nesse estilo e não moro em sp - capital, moro no interior de sampa rsrs

    Cara o ambiente é tudo! ninguém merece ficar em lugares com gente reclamona, baderneira entre outros...

    ResponderExcluir
  8. Lawyer, realmente bastante interessante sentir-se bem ao comer e não se sentir lesado ao pagar. Kkkk

    Concordo com o que a galera colocou: desde que apreciado com moderação, está ok. Só não vale dizer todos os dias que está pra baixo só pra ir à padaria. Kkk

    Quanto às pessoas reclamonas, sem mais o que acrescentar. É bem o q vc disse mesmo, elas sugam nossa energia vital.

    Abc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou ir lá sempre, pois sempre gasto mais em barzinhos no fds.

      Nas minhas contas mensais sempre separo uma parcela para cada fds eu curtir, quando sobra eu curto mais no outro, já que os aportes estão em dia e ultrapassaram a expectativa anual.

      Vlw.

      Excluir
  9. Crônicas da matrix financeira.
    Essa padaria gourmetizada nada mais é do que o equivalente da barbearia gourmet descrita pelo seu madruga no ultimo post: um monte de gente afetada, hipsters, cobrando a mais pela "experiência".
    Particularmente, embora tenha e sempre tive condições de frequentar tais lugares (meus pais tinham uma condição de vida abastada), prefiro frequentar lugar de gente com o pé no chão; até mesmo porque a maior parte das pessoas que frequentam esses lugares de elite comem bife e arrotam caviar, estão tão atolados no cheque especial e rotativo do cartão quanto o famigerado "povão". A única diferença, nesse mar de endividados, é que alguns pensam que são melhores que os outros.

    ResponderExcluir
  10. Aqui pela grande sp há várias padarias assim, mas.... geralmente são tudo caras :(

    ResponderExcluir
  11. A gente costuma ter essa impressão de que tudo que é mais arrumadinho é mais caro e nem sempre é assim.
    Coisa boa ser bem atendida, comer bem e não pagar caro, haha.

    ResponderExcluir
  12. Eu preciso me permitir esse tipo de experiência, Lawyer.

    Lembro que no livro "Segredos ma mente milionária" o autor recomenda que se faça isso de vez em quando, para criar inspiração para a riqueza.

    Eu tenho uma ânsia terrível de frequentar qualquer tipo de lugar gourmet, da moda, ou famoso. Sempre invento uma desculpa para não ir com os colegas pros restaurantes, sempre almoço nos mesmos (não são nível morte-lenta, mas longe de terem um bom ambiente).

    Uma diferença que notei entre os ambientes de "pobre" e de "rico" é a TV. Em ambientes populares sempre tem uma TV ligada, nos ambientes mais sofisticados, música instrumental, jazz, MPB ou mesmo ao vivo. kkk

    ResponderExcluir